Catuji (Minas Gerais)

Histórico: Tem sua origem ligada ao garimpo, especialmente à figura de Jovelino Maciel, seu fundador. Recebeu, inicialmente, a denominação de Três Barras, devido aos três pequenos rios existentes na região. Em 1953, passa à categoria de distrito do município de Itaipé, com o nome de Catuji e conquista sua emancipação política em 1992. A cidade oferece como atrativos inúmeras cachoeiras, além do comércio de pedras preciosas e semipreciosas em barracas ao longo da BR 116.

Gentílico: catujiense.

Formação Administrativa: Distrito criado com a denominação de Catugi ex-povoado, criado com terras desmembradas do distrito de Itaipé, pela lei estadual nº 1039, de 12-12-1953, subordinado ao município de Novo Cruzeiro. Em divisão territorial datada de I-VII-1960, o distrito de Catugi figura no município de Novo Cruzeiro. Pela lei estadual nº 2764, 30-12-1962, o distrito de Catugi deixar de pertencer ao município de Novo Cruzeiro para ser anexado ao município de Itaipé. Em divisão territorial datada de 31-XII-1963, o distrito Catugi, figura no município de Itaipé. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1988. Elevado à categoria de município com a denominação de Catuji, pela lei estadual nº 10704, de 27-04-1992, desmembrado de Itaipé, sede no atual distrito de Catuji (ex-Catugi). Constituído do distrito sede. Instalado em 01-01-1993. Em divisão territorial datada de 2003, o município é constituído do distrito sede. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2007.

Retificação de grafia: Catugi para catuji, alterado pela lei estadual nº 10704, de 27-04-1992.

Transferência distrital: Pela lei estadual nº 2764, de 30-12-1962, transfere o distrito de Catugi do município de Novo Cruzeiro para o novo município de Itaipé.